Perder um ou mais dentes, além de desagradável, muitas vezes, prejudica a mastigação, a fonética e a estética do paciente. A ausência dos dentes também pode resultar na movimentação dos dentes remanescentes e reabsorção óssea, entre outros problemas. Para combater esse fatos são ultilizados implantes e próteses dentárias.

Traumas, cáries ou infecções podem levar à perda de dentes permanentes. Um belo sorriso pode ficar comprometido pela ausência de um ou mais dentes. Para além da beleza, a capacidade mastigatória fica prejudicada quando a arcada tem uma vaga em aberto, assim, próteses e implantes são as soluções que a odontologia nos oferece para recuperar a saúde bucal.

“Sim, há diversos tipos de próteses. Todas tem a mesma finalidade, que é devolver a função mastigatória e estética para o paciente. Existe a prótese parcial removível (a famosa Rotch), a prótese total (dentadura) – ambas o paciente pode remover da boca para higienização. Já a prótese fixa, como o próprio nome sugere, não pode ser removida da boca pelo paciente, ela fica fixa e precisa de um preparo para ser instalada”.A decisão final, porém, ficará a critério do paciente, sempre com o suporte do dentista.

 Prótese x Implante

A prótese costuma ser a primeira opção por apresentar vantagens como estabilidade e preservação dos dentes sadios. Já para os implantes fatores como a qualidade e a quantidade da estrutura óssea serão determinantes.

A manutenção de próteses e implantes é feita com uma boa higienização bucal, com escovação após as refeições e antes de dormir com uso do fio dental e de escovas interdentais capazes de penetrar entre a prótese e a gengiva; além de visitas regulares ao dentista a cada seis meses.

“Quando se trata de próteses removíveis iremos seguir os mesmos passos para os dentes remanescentes na boca, além de uma escova própria mais rígida que será usada fora da boca para higienizar a peça protética”.